segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Deus ama-me...

O “homem com um espírito impuro” representa todos os homens e mulheres, de todas as épocas, cujas vidas são controladas por esquemas de egoísmo, de orgulho, de medo, de exploração, de exclusão, de injustiça, de ódio, de violência, de pecado. É essa humanidade prisioneira de uma cultura de morte, que percorre um caminho à margem de Deus e das suas propostas, que aposta em valores escravizantes ou que procura a vida em propostas falíveis. O Evangelho de hoje garante-nos, porém, que Deus não desistiu da humanidade, que Ele não se conforma com o facto de os homens trilharem caminhos de escravidão, e que insiste em oferecer a todos a vida plena.
Nestes tempos que são difíceis, ás vezes temos a tentação de perguntar porque é que Deus não nos ajuda, será que se esqueceu de nós?
Alguém contava que um homem regressava a casa com o seu filhito e o garoto vinha carregado com um molho de lenha. Alguém que passava dizia: “Que vergonha, carregar assim a criança com um molho de lenha!”
Ao que a criança responde: “ Não. Meu pai só me deu o molho que eu posso transportar…eu sei que ele gosta de mim…”
Deus connosco faz a mesma coisa…

13 comentários:

Anônimo disse...

...E é quando o molho pesa mais que descobrimos a força que temos...

MFN

NUMOPI disse...

Foi exactamente o que aconteceu com o SIMPLES PEREGRINO à uns meses. Foi-lhe dado/imposto um molho mais pesado.
Tenho a certeza, que descobriu, que tem força suficiente para o levar inteiro até ao fim. Eventualmente, ainda consegue juntar alguns paus pelo caminho. E caso tenha algum percalço, no caminho, sabe que tem amigos que o poderão ajudar.
Nuno Pinheiro


(Quando li este post e passei pela palavra FILHITO, ouvi a sua voz) Poucas pessoas utilizam este tipo de diminutivo. Parecia que estava sentado na capela com a viola debaixo do braço (culpa/influência sua, a viola) e ouvia atentamente a história habitual.
Muitas saudades.
Obrigado por este bocado.

Agradeço também a preocupação que teve em ir ver a data do meu baptizado.

Anônimo disse...

Ao ler o comentário do Nuno, apercebo-me que o sentimento 6 meses depois, continua a ser o mesmo...porque será???
O Nuno ouviu a sua voz...eu vejo-o no altar...um vulto paramentado careca (desculpe).
Para mim, a Eucarístia ainda se inicia com aquela saudação franca e amiga: "Olá, bom dia a todos,bem vindos, é com alegria que hoje nos reunimos..." quando deixo de o ouvir, já o resto da assembleia vai na confissão...
Saudades? Muitas,muitas...das palavras certas, na altura certa e no tom certo.
As palavras na sua boca ganham uma dimensão, que chegam aos mais insensíveis. Um padre acima de tudo, tem que ser um comunicador, pois, tem uma mensagem muito importante para fazer passar.
A mensagem até pode ser a mesma, mas, com um, chega ao destino, com o outro, perde-se...
E, porque Deus nos ama, Ele sabe que fomos injustiçados...aguardo pacientemente a reposição da verdade...

Um abraço

Fátima

Anônimo disse...

...injustiçados??? Ajude-me lá Sr. Padre, esta palavra existe?
Bom! O que eu queria mesmo dizer é que foram injustos connosco!!!

Fátima

Di (RH+) disse...

Encanto-me a ver esta relação entre os senhores! Sortudos são aqueles que têm, ou já tiveram, o que eu nunca tive - um padre capaz de derrubar montanhas! Alguém que mesmo ausente permanece sempre com "a sua voz", com "o seu vulto" e principalmente com as suas grandiosas histórias!
Mesmo sem conhecer, eu vou fazendo de conta que este é, também, o meu amigo padre que tanto de si dá aos outros numa página de internet.

Agradeço-lhe sempre e hoje não será excepção, pelo seu continuo apoio, ainda que inconsciênte, e pela força que transmite! Obrigada!

Anônimo disse...

DESCOBRI!!!

Delicio-me com os livros de Augusto Cury. Enquanto aguardava a chegada do João Pestana, passaram-me pelos olhos estas palavras, que vêm ao encontro do meu comentário anterior:
"Os excelentes Profissionais sabem que o que determina o impacto das suas palavras não é o seu tom de voz, mas a imagem que construíram no inconsciente colectivo das outras pessoas. Se a imagem for excelente, pequenas palavras serão suficientes, se a imagem for negativa, os gritos não serão eficazes".

Pronto! Está explicado!

Fátima

simples peregrino disse...

Amigos...bem-hajam...mas o que importa é o Essencial...fiquei todo babado, mas já me limpei...O Pai tb me deu um molho, ás vezes parece pesado mas quase sempre descubro que é o meu molho, e porque Ele me ama tanto só me deu um muito pequeno e mesmo para esse Ele ajuda-me sempre...

Fátima...eu tb gosto muito do Cury...o último livro que escreveu chama-se "O código da inteligência" e termina assim: " Sonho que poderemos ser vendedores de sonhos numa sociedade que deixou de sonhar. Sonho que poderemos explorar o infinito mundo da mente humana e conhecermo-nos cada vez melhor a nós mesmos, este ser complexo e belíssimo e ao mesmo tempo, imperfeito e complicado."

Um grande abraço

Anônimo disse...

Simples Peregrino:
As palavras que retirei são exactamente de "O código da Inteligência" pag. 203
Acabei de o ler ontem mesmo.

Um abraço
Fátima

Anônimo disse...

Di(RH+), não sei se seria bom para si, ter um padre como nós tivemos. Certamente custar-lhe-ia muito a sua partida, como aconteceu connosco.
Dói mesmo, acredite.

MFN

NUMOPI disse...

Estava eu, hoje, a procurar fotografias no meu computador e passo por uma fotografia do Verão de 2003, na capela da minha aldeia.
Festa do Pai Nosso da mais nova.
No altar estava um senhor, ainda novo (não é que, agora, seja velho mas era mais novo 6 anos), mais magro do que actualmente (é a PDI) e bem parecido.
Com cara de quem procurava, ainda, ajeitar o molho que lhe fora entregue recentemente.
Esse SENHOR, conseguiu entregar o molho no destinatário e ainda teve tempo para "juntar" um enorme rebanho, apenas com as suas palavras e atitudes.
Nem o peso e mau jeito que por vezes esse molho lhe causava, o conseguiram demover. A missão que lhe havia sido entregue no dia do baptismo era/é mais importante.

Não me canso de agradecer a este SENHOR.
Obrigado.
Nuno Pinheiro

Anônimo disse...

Padre Sérgio,

cada um tem de pegar a sua cruz e segui-Lo. Ele ama-nos incondicionalmente e não nos quer agarrados à Terra. Somos simples peregrinos, estrangeiros, porque o nosso lugar é o Céu e é lá que nós queremos morar, por isso, mesmo que o curso das nossas vidas mude sempre e sempre, temos que nos manter unidos em Cristo e por Cristo, pois cada um à sua maneira e ao seu ritmo vai crescendo e tal como o Menino Deus, esperemos que cresçamos em sabedoria e em graça.
Saudades? Sim, muitas. Mas a Providência Divina é grande e nem sempre nós a entendemos.
Paz e Bem!

Paula

Di (RH+) disse...

Longe de mim duvidar destas palavras!!! Sinto-as tão verdadeiras que tiro o chapéu ao Sr. Padre Sérgio. É como digo "MFN", mesmo não conhecendo a pessoa já é tão importante que finjo conhecer tão bem quanto todos vocês!
Claro que eu acredito que custa, mas que sortudos são vocês por terem um padre assim, que faz tão parte de vós "que até" dói! Acredite,gostava muito!

Anônimo disse...

Eu também tenho saudades...muitas


LL