sexta-feira, 30 de maio de 2008

Nem todo o que diz....


Deus também não fica satisfeito connosco só por fazermos alguma boa acção. Não se entra em comunhão com Ele só com factos prodigiosos, mas renovando a nossa vida e enriquecendo-a com obras de amor a favor do irmão. Por isso não basta dizer “ Senhor…Senhor”…é preciso mostrar por gestos o que dizem as palavras…

Numa reunião de pais, na escola, a professora falava da importância do diálogo e dizia:” Os pais têm de falar com os filhos, não se pode ser um pai ou mãe ausente…eu não vejo como um pai pode andar fora todo o dia e falar muito pouco com os filhos…”
A professora falou…falou…falou…depois deixou um espaço em aberto para que os pais pudessem intervir…
Um pai pediu a palavra e disse: “ A senhora professora tem muita razão…mas sabe como a vida é difícil…olhe por exemplo o meu caso…quase nunca falo com a minha filha, saio de manha e ela ainda está a dormir, chego á noite e ela já se deitou…” A professora interrompeu o pai e disse: “ Como é que o senhor pode deixar que isso assim aconteça…como pode essa moça ter bom aproveitamento se nem o carinho do pai tem…”o pai interrompeu e disse: “ Desculpe…a senhora diz que é importante falar mas não me deixou falar…eu queria dizer-lhe que concordo…mas a verdade é que nós podemos falar de várias formas…eu como não posso falar com a minha filha, temos um sinal em que sabemos que todos os dias estamos juntos…na verdade de manha quando saio para o trabalho ela ainda dorme…e quando regresso à noite ela já dorme…mas ela sabe que todos os dias eu estou junto dela um pouco vendo-a dormir…e nesse pequeno espaço de tempo eu dou-lhe um beijo e dou um nó na ponta do lençol e de manhã quando ela acorda e vê o nó sabe que eu estive com ela…por isso podemos falar e várias formas…no meu caso diria que o importante é gesto…”
A professora ficou de boca aberta…mais tarde quis saber quem era a filha daquele senhor…e descobriu que era a melhor aluna da escola.

As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem registrar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó... Um nó cheio de afecto e carinho.
Por isso não basta dizer: “Senhor, Senhor”…precisamos de aprender a passar á acção…a palavra é completado pelo gesto…e vice-versa…

E tu, já deste algum nó afectivo hoje?

2 comentários:

Maria João disse...

Vamos dar muitos nós afectivos ao longo da nossa vida! :)

É Jesus que nos pede... São precisas mais palavras?


beijos em Cristo e Maria

osátiro disse...

Continuemos a rezar pelos quatro Cristãos Argelinos condenados por abandonar o Islamismo:
http://www.oecumene.radiovaticana.org/BRA/Articolo.asp?c=209570